ANPAP 2017

25/09/2017

VII Reunião do Fórum de Coordenadores de Cursos de Graduação em Artes Visuais, Artes Plásticas, História da Arte, Conservação e Materiais: https://fcgartesvisuais.jimdo.com/

“O objetivo principal do fórum é reunir os coordenadores dos cursos de graduação das instituições de ensino superior, para conhecermos a situação do ensino na área das Artes Visuais no país, possibilitando a troca de experiências e discussão de assuntos em comum, que permitam um desenvolvimento coletivo.”

26/09/2017

Continuação dos debates na VII Reunião do Fórum de Coordenadores de Cursos de Graduação em Artes Visuais, Artes Plásticas, História da Arte, Conservação e Materiais. Assuntos importantes em pauta: PPC dos cursos; TCC (critérios de avaliação, acondicionamento, exposição das pesquisas artísticas); Relacionamento docente-discente; Extensão universitária; Ensino-Pesquisa-Extensão-Gestão; Saúde mental; dentre outros. Em breve compartilharemos a ata.

18h – Abertura da ANPAP na PUC-Campus 1

19h – Abertura da Mostra ANPAP 30 anos na galeria da PUC-Campus 1

28/09/2017

Apresentação oral do trabalho:

AUTOBIOGEOGRAFIA COMO
METODOLOGIA DECOLONIAL

Manoela dos Anjos Afonso Rodrigues – FAV/UFG

RESUMO

Neste artigo apresento os conceitos “espaço” e “lugar” de acordo com abordagens oferecidas pela geografia humanista e pela geografia feminista. Em seguida, destaco a relevância da política do lugar e da política da identidade para o campo das escritas de vida poscoloniais. Tal reflexão culmina no termo “autobiogeografia”, o qual designa a metodologia autobiográfica situada que utilizo para articular práticas decoloniais. Por último, mostro imagens de alguns de meus trabalhos artísticos que estão de alguma forma ligados aos conceitos previamente apresentados neste texto.

PALAVRAS-CHAVE
Autobiogeografia, Autobiografia, Política do Lugar, Prática Artística, Decolonialidade.

 

AUTOBIOGEOGRAPHY AS
DECOLONIAL METHODOLOGY

ABSTRACT

In this article I present the concepts “space” and “place” according to notions offered by humanistic geography and feminist geography. Next, I emphasize the relevance of both the politics of place and the politics of identity for the field of postcolonial life writing. These thoughts culminate in the term “autobiogeography”, which designates the situated autobiographical methodology that I use for articulating decolonial practices. Lastly, I show images of some of my artworks that somehow are related to the concepts previously presented in this paper.

KEY WORDS
Autobiogeography, Autobiography, Politics of Place, Art Practice, Decoloniality